Sobre estar grávida e sair com os amigos

Imagem

Essa noite passada vivi e refleti sobre alguns acontecimentos, bom como disse anteriormente tenho 22 anos e estou grávida de 6 meses, atualmente. Durante os primeiros meses vivi muitos episódios de enjoos e tonteiras, o que é muito comum de acontecer com algumas mulheres, devido a isso deixei de sair e frequentar vários lugares que eu ia antes, meu namorado muito cuidadoso e companheiro, nunca me deixou de lado e sempre estava aqui me fazendo companhia.

 

pmd(imagem da internet)

 

Obviamente eu senti falta da minha vida social, meu namorado sentiu também e até nossa família percebeu que ficamos mais “caseiros” enquanto esses episódios ocorriam. Hoje em dia com essa idade gestacional que estou, me sinto muito mais aliviada pois os enjoos diminuíram muito e estou mais disposta para fazer as atividades do dia-a-dia. Por ter ficado esse tempo sem sair de casa vimos vários amigos se distanciar, chegando até a deixar de falar conosco, devido aos desencontros de horários, festas/resenhas marcadas em horários muito tardios entre outros fatores.

Nós como pais ainda somos pessoas sociáveis, é estranho falar isso mas é engraçado como as pessoas jovens se dizem tão cheios de desapego emocional, livres de egoísmo, pessoas mais humanizadas e com mais empatia, e mostram-se pessoas completamente opostas à ideia expressada no rótulo social do seu corpo.

Em 6 meses conseguimos diminuir grandiosamente nossa lista de convidados pra o nosso chá de bebê, dos que sobraram podemos ter certeza da veracidade e cumplicidade dessas pessoas conosco.

Voltando à ontem… bem, eu cheguei no pub sozinha, grávida e acompanhada por um casal de amigos. Meu namorado chegaria um pouco mais tarde do que eu, o que pude perceber foram: pessoas que não me viam a muito tempo extremamente felizes em me rever e conhecer a Laura (dentro da minha barriga mesmo), mas eu pude sentir o carinho e a felicidade desse reencontro; existia aqueles olhares fuzilantes para minha barriga “o que uma moça grávida e sozinha está fazendo em um pub?” se eu tivesse direito de resposta apenas sorriria e diria “estou me divertindo como todos” e percebi também que em certas circunstancias da vida as coisas acontecem para nos mostrar quem realmente está do nosso lado, quem corre conosco e não abre mão.

Me sinto feliz por estar rodeada apenas de pessoas verdadeiras nessa fase da minha vida como gestante, não teria hora melhora para a árvore da vida balançar os galhos e deixar os frutos podres caírem.

\\m.

Anúncios

Dias de chuva

Dia chuvoso, bolinho de chuva

Chuva doce que preenche e alegra a mãe natureza

Chega molhando, lavando, renovando e limpando tudo que tras sujeira

Poeira de asfalto que foi molhada, bolinho um pouco queimado

Vamos colocar açucar e canela pra dar um toque doce

Esta na hora de ir, pois vai ficar mais frio, a chuva esta passando e o bolinho me esperando.

Receita:

  • 2 ovos
  • 2 colheres (sopa) de açúcar
  • 1 xícara (chá) de leite
  • 2 e 1/2 xícaras (chá) de farinha de trigo
  • 1 colher (sopa) de fermento
  • 3 colheres (sopa) de açúcar
  • 1 colher (chá) de canela
  1. Em um recipiente, adicione os ovos, o açúcar, o leite, a farinha de trigo e o fermento, depois misture-os até obter uma massa lisa e homogênea
  2. Com a ajuda de uma colher, pegue porções da mistura e despeje em uma panela com o óleo quente
  3. Retire do fogo quando estiver no ponto, depois misture a canela com açúcar e salpique no bolinho de chuva já frito

Descobri que vou ser mãe, e agora?

Faz um tempo que eu gostaria de expor meus sentimentos e pensamentos em relação a minha nova jornada.

Em agosto/2017 começou a minha “saga de grávida da vez”, eu tenho 22 anos, curso Engenharia de Produção e faltando apenas dois anos para formar (2/2019) descubro que estou esperando um bebê!

Fiquei sabendo da minha gestação após um mês de gravidez quando minha menstruação não chegou. No começo eu não desconfiei, porque pra mim era muito comum ela atrasar devido a um problema de saúde cuja faço tratamento desde 2014, mas nunca atrasou mais do que uma semana.

Então começou a aparecer uns sintomas como muitas espinhas, meus seios estavam inchados, doloridos e eu achando que era TPM, porém eu nunca fiquei de TPM por 3 semanas, então um belo dia eu tive um sonho de estar carregando um neném maravilhoso e falei assim no sonho: “- nossa como que eu consegui fazer um filho tão lindo assim!?”. Acordei desesperada e pedi meu namorado para me levar em uma farmácia para fazermos o famoso teste de gravidez caseiro. E então a grande notícia, siim estava grávida e o que mais me surpreendeu foi que eu engravidei tomando remédio, mas não estava usando camisinha, daí aquele 0,1% de chance aconteceu.

O que eu senti?

No dia que nós ficamos sabendo (eu e meu namorado), foi um susto pois não estávamos esperando por isso, fizemos um teste de farmácia e não demorou muito a aparecer os dois tracinhos do sinal de “gravidez rolando”. Coração foi a mil, batia tão forte que parecia que a qualquer momento poderia sair pela minha boca, serio, dava para ver ele palpitando no meu peito.

Quanto ao meu namorado, ele estava ao meu lado em todos os momentos, desde a hora em que eu fiz xixi no potinho até o momento de contarmos para os nossos pais, ele sempre muito carinhoso e compreensível, não me agrediu verbalmente ou sugeriu um aborto, a primeira coisa que ele disse foi: ” – Nós vamos cuidar e amar esse bebê, vamos dar tudo a ele, por mais que possa surgir situações difíceis.”.

Nesse momento percebi que ele me apoiaria independente do que os outros pensassem, me senti amada, apoiada e inclusive acho que toda mulher deveria receber esse apoio emocional, por mais difícil que seja a situação que ela se encontra, por mais que essa ideia fuja da nossa realidade de tempos modernos, o momento em que nos vemos grávidas é o momento em que nos vemos mais vulneráveis, é o momento em que nosso psicológico está mais frágil e a pior coisa de se ouvir são julgamentos e acusações verbais.

Após comunicar a todos, no dia seguinte fizemos o teste de sangue e um ultrassom, que apenas confirmou o teste de farmácia. O meu sentimento comigo mesma foi uma confusão mental muito grande, pois sempre me vi uma mulher independente, sempre corri atrás do meu futuro, lutei com minhas garras e de repente percebi que deveria dar uma parada, uma acalmada para cuidar melhor da minha saúde e da minha gravidez e deixar que os outros cuidem de mim.

Graças a Deus tive apoio da minha mãe e dos meus sogros desde o início. No começo meu pai ficou com raiva de mim mas hoje em dia ele já é um babão, louco para esse bebê nascer e ele poder pega-lo no colo.

Essa foi a minha história, hoje me encontro no 4 mês de gestação, quaaase entrando para o 5º, não vou dizer que a vida é perfeita e que a gravidez é um mar de rosas porque não é verdade, mas posso confirmar que após você sentir realmente, do fundinho do seu coração, que existe uma vida dentro de você, tudo muda, seu coração fica mole, você se sente mais forte e ao mesmo tempo mais frágil, você percebe que além do seu mundo você terá que apresentar um mundo novo para essa nova vida, onde esse nova vida terá novas perspectivas, vivencias e experiencias. É um sentimento maravilhoso, confuso e desconhecido mas o conforto dentro de tudo isso é saber que a base para esse mar de emoções é o amor.

\\m.

 

Ir para a Serra do Cipó/MG e gastar até R$ 50,00

Olá leitores!

Vou contar como passamos um dia na cachoeira gastando pouco e nos divertindo muito!!! Esse final de semana decidimos passar um dia na Serra do Cipó/MG, a mesma fica aproximadamente a 64 km da cidade de Lagoa Santa/MG, onde moramos.

A viagem dura aproximadamente 1 hora, assim que chegamos na Vila da Serra podemos encontrar o Parque Nacional – Serra do Cipó, dentro do parque temos acesso a  Cachoeira Grande, além da mesma, dentro dele existe mais 3 acessos à cachoeiras/poços para nadarmos, dentre eles a Rapel e também o Poço da Chica.

A entrada para o parque custa R$ 30,00 por pessoa e eles não fazem desconto (nós tentamos e insistimos pois éramos 4 pessoas, mas não deu certo!kkk).IMG_3558 (1)

Apesar de sermos contra a cobrança para entrar nas cachoeiras, ao visitar o Parque Nacional – Serra do Cipó possui toda a área agradável e limpa, além da beleza natural das quedas das cachoeiras e do rio corrente, o parque apresenta locais abertos para descanso e interatividade dos visitantes, tendo também banheiros de fácil acesso e lixeiras espalhadas por todo caminho, além de possuir um salva vidas na Cachoeira Grande, que auxilia e contribui para a segurança dos visitantes e banhistas que estão no local.

Algumas Regras do Parque Nacional – Serra do Cipó/MG:

  • É proibido a entrada de visitantes com bebidas alcoólicas;
  • Não é permitido fazer churrasco/acender fogueiras dentro do Parque e nas cachoeiras;
  • Não é permitido acampar e entrar com veículos no local (para isso existe um estacionamento na entrada, cuja é gratuito).

Aaaahh não posso me esquecer que você pode entrar e sair do parque quando quiser e seu horário de funcionamento é 08:00 hrs às 18:00.

Hora de almoçar

Quando bater a fome você pode pensar em dois restaurantes de fogão à lenha que existem na vila e a comida é uma delícia!!! Você come a quantidade que quiser, no Paiol R$15,00 e no Restaurante do Xico R$16,00 a diferença entre eles é que no Paiol a carne é feito na hora e vem um pedaço que pode ser dividido entre duas pessoas (Sério!!!).

  •  E se quisermos economizar mais?

Caso você queira dar uma economizada, além do Parque Nacional – Serra do Cipó, do outro lado da rua à esquerda,  existe a Fazenda Mojolosfazendo uma trilha a pé você chega até a Cachoeira do Pedrão, onde tem um poço enorme para nadar e uma queda muito bonita também. Além disso, como o próprio nome já diz o espaço possui uma pedra de onde você pode saltar e cair diretamente no rio.

Se optar por curtir a Cachoeira do Pedrão, você economizará R$ 30,00, podendo então estender mais um dia de camping com sua economia.

Menos de 2 meses para o natal e não vimos o tempo passar!

Nota

Olá leitores! Neste final de ano comecei a pensar sobre como tudo passou tão rápido, o ano passou em um estalar de dedos e, pelo meno eu, não vi esse tempo passar. Por estarmos sempre atolados em compromissos, responsabilidades dentro ou fora do trabalho, nós nunca paramos e fica cada vez mais difícil de ver o tempo passar.

Depois de ter concluído tantos “afazeres” comecei a olhar mais para o que acontecia ao meu redor e quem fazia parte dele, cada um tem o seu “jeitinho” e isso é o que nos torna únicos e especiais. Mas o que realmente move boa parte de nós, para se sentir bem é a busca intensa pela felicidade. Não importa o seu estilo de vida, idade ou qualquer outra variável, todos buscamos pela felicidade, por se sentir felizes e completos com esse sentimento.

Pude compreender então que se estamos percorrendo um caminho juntos por esse buscar interminável, cabe a nós ajudar quem percorre, “dar a mão” para que busquemos uma evolução conjunta em prol de um bem maior.

Afim de ajudar aqueles que precisam e possuem muitas vezes condições mais limitadas que outros, estamos reunindo brinquedos usados em boas condições para doarmos para as famílias que não tem condições de presentear seus filhos.

Estaremos recebendo ajuda de nossos amigos e convido a todos a fazer parte dessa ideia. E se você não é da nossa cidade, inicie essa mobilização onde você mora! Porque quando praticamos o bem recebemos o mesmo em dobro e nada é melhor do que fazer uma criança sorrir.

Se você tiver interesse em ajudar com alguma doação ou nos acompanhar na entrega dos presentes, encaminhe um e-mail na página de CONTATOque responderemos assim que chegar.

Deixo com vocês um grande abraço e meu agradecimento por sua leitura.